Como práticas DevOps otimizou os procedimentos da Toro Investimentos

Como práticas DevOps têm otimizado os procedimentos da Toro Investimentos

Práticas DevOps - Agile Leaders Meeting

Uma das palestras que rolou na última edição do Agile Leaders Meeting contou com Paulo Mariano, da Toro Investimentos, que trouxe em seu painel os ganhos e benefícios após a implantação das práticas DevOps na companhia.

Práticas DevOps - Paulo Mariano

Para abrir a sua palestra, Paulo trouxe aos participantes conceitos sobre o que são e como aplicar as práticas DevOps dentro de uma organização.

Afinal, o conteúdo não seria tão transformador se o público do evento não compreendesse o seu devido valor e como essa prática funcionaria dentro de uma corporação.         

Ao apresentar a metodologia, ele conceituou o termo DevOps como uma descrição de conjunto de práticas que integram equipes. Sejam elas de desenvolvimento de softwares, operações (infraestrutura ou sysadmin) ou de apoio envolvidas (controle de qualidade, por exemplo).

Durante seu discurso, os participantes puderam ter uma noção concisa sobre os pilares da metodologia DevOps, conhecido como CALMS.

Em outras palavras, com esses pilares podemos tratar o relacionamento interpessoal das equipes (Culture), automatizar todos os processos e tudo que for possível (Automations). Podemos também identificar os gargalos que devem ser corrigidos (Lean), mensurar o seu ambiente e gerar feedback (Measurement). Além disso, podemos compartilhar todo conhecimento com a equipe (Sharing).

No decorrer da implantação da cultura DevOps, Paulo conta que muitos gargalos foram identificados. Diversos processos eram executados de forma manual, baixa escalabilidade horizontal e alto acoplamento entre os sistemas. Todos os fluxos de trabalho estavam  indefinidos, o pacote da aplicação era gerado na máquina do desenvolvedor e anexado ao TFS ou e-mail antes de ser homologado.

Os processos implicavam em constantes rollbacks, além de desenvolvedores mais dedicados à resolução de problemas de deploys, ou seja, contratempos que influenciavam negativamente no desempenho da equipe.             

Para colocar em prática esses conceitos, equipes multidisciplinares foram criadas, permitindo maior autonomia. Sendo assim, qualquer colaborador poderia trabalhar nas aplicações. Além disso, também foi criado um fluxo de trabalho padronizado para esses times.

A automatização de alguns processos diários como os deploys não só contribuiu para padronização desse processo, mas também reduziu a taxa de rollback introduzindo qualidade em todo fluxo de desenvolvimento e o crescimento da quantidade de deploys semanais.           

Portanto, através da experiência aplicando as metodologias dentro da Toro investimentos é nítido que a Cultura e o Mindset são essenciais para que a tecnologia traga resultados reais para as empresas.

Você pode assistir a palestras como essa na próxima edição do Agile Leaders Meeting. As inscrições estão abertas, garanta sua vaga!