Transição para Modelo Ágil: qual melhor forma de fazer? – Liga Ágil

Transição para Modelo Ágil: qual melhor forma de fazer?

Por: 17 de maio de 2022 5Min de leitura

Após a comprovação clara dos resultados da agilidade, diversas empresas têm buscado implementá-lo almejando os mesmos benefícios. Entretanto, a transição para o modelo ágil requer um conjunto de ações que vão além de escolher um método específico.

O Manifesto Ágil é claro: “Responder a mudanças mais que seguir um plano”. Então se a sua organização está realizando alguma iniciativa envolvendo agilidade tenha uma certeza: haverá mudanças. Esperar até que tenha visão de como tudo irá acontecer para começar reagir poderá ser tarde demais. Isso sem comentar sobre a resistência normal de perpetuar aquilo que esteja funcionando atualmente.
 

Gestão de Mudança Ágil: 06 objetivos para você alcançá-la. 

Em organizações onde  a estratégia, a estrutura, os processos, pessoas e tecnologia já têm todas suas engrenagens em operação, requerem que as ações desenvolvidas envolvam diversos pilares relacionados aos impactos para que alcance o objetivo da mudança. 

Jornada Ágil: 4 aspectos para superar sua concorrência 

A velocidade da mudança 

O senso de urgência e a sobrevivência no mercado tornaram-se imperativos no mundo BANI, mas não podem ser sinônimos de atos estratégicos desordenados, pois precisam atender a situações cada vez mais complexas. Acima de tudo, a organização é um organismo complexo vivo com variáveis externas e internas, onde modificar quaisquer variáveis impactam os resultados do negócio. 

Transformação Ágil: como fazer a escolha certa? 

A transição para modelo ágil precisa ser realizada em menos tempo e num ritmo mais rápido sem que desacelere a velocidade da organização. Em outras palavras, o caminho é seguir com melhorias incrementais evolucionárias a partir do momento atual. Isso vai fazer com que as pessoas possam compreender o motivo e o benefício de adotarem mudanças com mais eficácia no seu dia a dia. Portanto, conseguindo romper as barreiras visíveis e invisíveis do processo de transição para a busca contínua da maturidade ágil. 

O modelo ideal para transição para Modelo Ágil 

Sendo assim, dado a realidade e desafios do dia-a-dia de cada organização, o modelo ideal será aquele que conseguir fazer com que as pessoas possam entender o valor e incorporá-lo na sua rotina diária. Ou seja, adotando o mindset ágil, agindo a partir de novos princípios, valores e comportamentos, usando novas práticas e ferramentas que vão compor a governança ágil. 

Para que a empresa desenvolva a capacidade de adaptação às constantes mudanças e assim tornar-se algo comum na cultura organizacional vai requerer: 

  • Agilidade como DNA – mais do que um modo de fazer as coisas, uma forma de pensar para fazer; 
  • Objetivos estratégicos – atuação baseada em metas estratégicas claras; 
  • Arquitetura adequada – suporte estruturado para desenvolvimento da agilidade e evolução dos produtos; 
  • Abrangência corporativa – agilidade para além da TI, com profundo comprometimento do negócio; 
  • Aprendizado contínuo empírico – aprender sempre por meio da experimentação; 
  • Evolução constante – tornar prática  a melhoria contínua  por meio da inspeção e adaptação. 

Portanto, a transformação ágil é uma jornada, não um destino e a gestão de mudança é necessária para apoiar e tornar sustentável cada passo.  

Metodologias Ágeis:O que são e quais os principais tipos 

A Liga Ágil está preparada para  instrumentalizar a sua organização oferecendo apoio estratégico na condução da mudança organizacional, treinamentos in company e alocação de profissionais especializados para habilitar pessoas e transformar culturas corporativas, auxiliando as empresas a atingirem seus objetivos de negócio, respondendo às constantes mudanças com agilidade.  

Clique aqui e entre em contato e vamos começar essa jornada.